terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Poesia em mim...


| Anjo rebelde... |


E que Anjo foi aquele, que ignorou
o mortal que velava em sono leve,
deixando-o à beira do amar,
em dilatado estado humano,

decompondo meus traços finos,
em um incompreensivo sentir nocivo,
de um amor que lhe foi dado sem pedir...
Ah, Anjo Bom... Que o amor não se vá

no destilar do tempo,
nem o desconforto da presença...
Caia antes do anoitecer,

desprenda suas asas na luz da tarde,
e venha pegar o meu olhar que é seu...
Em abraço lento que te faça arder o corpo...
..........................................................................................
Beto Ribeiro | Outubro 2013
Imagem original: www.google.com.br
Imagem final: Beto Ribeiro
.......................................................................

Há quem me julgue perdido, porque ando a ouvir estrelas. Só quem ama tem ouvido para ouví-las e entendê-las..” [Olavo Bilac]

Olá pessoal!!!
O sentido que a poesia traz a vida, cada um faz o seu...
Beijo grande no coração de todos! Fiquem com Deus!!! Namastê!

Beto Ribeiro.

6 comentários:

SANDRA FREITAS disse...

Adorei

Beto Ribeiro disse...

Olá Sandra!!!!

Obrigado querida!! Seja sempre bem-vinda por aqui!
Beijo grande!!

Beto.

António Jesus Batalha disse...

Seu blog é encantador, estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes,mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu. Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante, e se desejar deixe um comentário. Abraço fraterno.António.
António.

Beto Ribeiro disse...

Olá António Jesus Batalha, boa noite!!

Que bom mais um amigo por aqui. Esteja sempre a vontade para passear pelo Ermitão do Giz, será um grande prazer tê-lo aqui.
Gratidão imensa!
Visitarei sim o seu espaço Peregrino.

Um forte abraço!

Beto Ribeiro.

Solange Brito Silva disse...

Beto,perfeita escolha dos versos de Bilac que, ilustra o teu poema. "Ah, Anjo Bom... Que o amor não se vá" pois "decomponho no destilar do tempo para que desprendas suas asas na luz da tarde"...e venhas apaixonadamente me abraçar num daqueles enlaçar de almas de um eterno suspirar...

Solange Brito Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.