terça-feira, 13 de maio de 2014

Mais versos...


| Sinfonia... |


A sua composição era o que me importava
quando se transmutava de razão para o amor,
ou quando se portava tal partitura de valsa
travestindo a si, em sentimento sinfônico de mulher...

Me deixava em baile, te enxergando em braile, 
sentido o som de seu pecar, num beijo
que vejo em vendas de olhar e
suspiro de tom, à nota saltar...

Girantes, os corpos encontravam o som,
perseguiam a poesia solta no ar,
escalavam metais em semi-notas
deixando pautas de vida em poros...

Libertando o sopro no rosto,
flautando prazer em audição...

Entregue-me sua música,
esfregue-me seu tom me fazendo semitonar a voz,
deixe que lhe revele em falsete,
a sinfonia que desejei lhe cantar em sonho...
...................................................................................

Beto Ribeiro | Abril 2014
Imagem Original: Pino Daeni
Imagem Final: Beto Ribeiro
........................................................................................................
“Eu quero amar, amar perdidamente. Amar só por amar.” [Florbela Espanca]

Olá pessoal!!!!

Estou de volta, retomando o caminho das letras por onde a luz do coração de auxilia no caminhar.
E aproveito para deixar aqui, minha gratidão pelas visitas, mesmo sem postagens atualizadas.
Um agradecimento especial a minha amiga Solange Brito Silva, pelas lindas palavras deixadas em meu perfil do Facebook. Linda demais!!
Beijo imenso Solange e abraço de urso polar do Ártico!!! rsrs

Valeu galera, beijo grande no coração e luz sempre! Namastê.

Beto Ribeiro.

3 comentários:

Solange Brito Silva disse...

Beto,meu querido... o que dizer de tão belíssimo e profundo poema e perfeita escolha de imagem?!Repetirei o mesmo comentário que fiz um dia neste mesmo poema que tanto ameiiii... Um sonho alado... embalado pela grande "sinfonia de uma mulher"... ao ser tocado pela transmutação do desejo... perfeita "composição de uma valsa" travestida de sentimentos afagados pelo toque dos dedos... som e sentido perfeitos de um doce pecar... e no profano tom dos corpos... beija sonhos abraçados... da doce poesia escalada, que atravessa as muralhas cifradas das quimeras... ahhhhhhhhhhhhh, e quem dera... se a pura vassalagem dos alaúdes e das flautas de Pan entoassem harmonicamente a liberdade e o prazer de amar?Simmmmm, qual alma renascida, entregaria-se como música nas mãos do maestro... que com sua batuta certeira... faria semitonar a voz do trovador?Apenas, uma encantadora de sonhos... a cantar a sua "sinfonia" de amor...Beijosss

Beto Ribeiro disse...

Solange minha querida de sempre!!

Está se especializando em me deixar sem palavras menina. Seus comentários são sempre lindos e cheios de sentimentos.
Muito obrigado pelo carinho enorme, e pela companhia que me faz no entendimento dos versos.
É como falei um dia pra ti, acho que estou encontrando o caminho para que eles ganhem vida própria, pernas, braços e vontade de andar, e também liberdade para alcançarem os corações mais distantes, sejam fisicamente ou em sentimentos.

Gratidão!!!!
Beijo grande e abraço de urso polar do Ártico... Sempre! rsrsrs

Beto Ribeiro.

Solange Brito Silva disse...

Betoooooooo,meu querido... tens a certeza de que ainda estás "encontrando o caminho"?!Para mim, eles já ganharam vida, eu os enxergo com pernas e braços, tu é que deves desprender-se deles... ao abrir espaço para que eles alcancem, extravasem no para além dos sonhos... Bjs